Avançar para o conteúdo

Mudanças em Portugal em 2021

O orçamento de Estado para 2021 (OE2021) introduz 18 alterações a partir de 1 de janeiro de 2021, que vão desde aumentos do salário mínimo e cortes nas pensões até à criação de novos apoios sociais e à redução do IVA na eletricidade. Vejamos o que vai mudar em Portugal em 2021.

Mudanças em Portugal em 2021

1. Aumento do salário mínimo

O salário mínimo nacional (SMN) para 2021 foi fixado em 665 euros. Trata-se de um aumento de 30 euros em relação a 2020 (+4,7 %) e de um aumento de 160 euros (+32 %) em relação a 2015. Este aumento terá igualmente um impacto nos salários dos trabalhadores da administração pública (AP) em 2021.

2.aumento das pensões de reforma

Os pensionistas com pensões até 658,2 euros vão beneficiar de um aumento extraordinário de 10 euros. O Ministério das Finanças garante que este aumento "garantirá ganhos reais de poder de compra a cerca de 1,9 milhões de pensionistas". O aumento relativo a janeiro será pago em simultâneo com o de fevereiro.

3. Novos apoios sociais para os trabalhadores desprotegidos

Trabalhadores que tenham sofrido uma quebra de rendimentos em consequência da crise pandémica. Receberão um novo apoio social extraordinário, que terá por base o valor do limiar de pobreza (501,16 euros). Estima-se que a nova prestação social possa chegar a 258 mil pessoas. O apoio abrangerá os trabalhadores por conta de outrem que percam o acesso ao subsídio de desemprego em 2021; os trabalhadores independentes economicamente dependentes; os trabalhadores independentes com pelo menos três meses de contribuições nos 12 meses anteriores ao pedido e cuja faturação seja inferior a 40 %.

4. Aumento do subsídio mínimo de desemprego e prorrogação das prestações por seis meses

Em 2021, o limiar mínimo para o subsídio de desemprego aumentará de 438,81 euros para 504,6 euros para os trabalhadores a tempo inteiro, abrangendo cerca de 130 000 pessoas. Ao mesmo tempo, os trabalhadores cujo subsídio de desemprego expira em 2021 terão direito a uma prorrogação desta assistência por mais seis meses.

5. Creches gratuitas para mais de 60 000 crianças

Em 2021, as creches gratuitas abrangerão todas as crianças que frequentem uma creche pública ou uma cooperativa. A medida destina-se aos agregados familiares do 1.º e 2.º escalões de rendimentos e poderá beneficiar 60.000 crianças.

6. Apoio extraordinário à retoma progressiva

O regime Aide Extraordinaire à la Reprise Progressive foi prorrogado até 30 de junho de 2021 e prevê o pagamento de 100% de salário até um máximo de três mínimos (1.995 euros). O pagamento integral também abrange os trabalhadores despedidos.

7. Mais médicos, mais camas e mais equipamento para o SNS

O OE2021 inclui a contratação de 4.200 trabalhadores para o Serviço Nacional de Saúde e mais 261 trabalhadores para o INEM; o reforço das Unidades de Cuidados Continuados, com 400 novas camas para a rede geral, dez Unidades de Dia e Promoção da Autonomia (200 lugares), 600 novos lugares nos CCI de Saúde Mental; para além de um reforço de 150 milhões de euros nos cuidados de saúde primários para equipamentos e instalações e 50,5 milhões de euros para a reposição e aquisição de material hospitalar pesado.

8. Autonomia e modernização das escolas públicas

Em 2021, serão contratados mais cinco mil assistentes operacionais para as escolas públicas e foi criada uma reserva de 400 milhões de euros para um programa de digitalização das escolas.

9. Ajustamento das tabelas de retenção na fonte do IRS

Em 2021, o Governo promete continuar a abordagem gradual e faseada para esbater a diferença entre as retenções efectuadas na fonte pelos trabalhadores dependentes e o valor final do imposto a pagar. Este ajustamento permitirá disponibilizar cerca de 200 milhões de euros às famílias no próximo ano, estima o Ministério das Finanças.

10. Limite máximo de isenção de IRS aumentado em 100 euros

Limite de isenção de IRS aumentado em 100 euros. O montante mínimo até ao qual os contribuintes estão isentos de pagar IRS vai ser aumentado em 100 euros, passando para 9.215 euros. Assim, cerca de 30 mil novos agregados ficarão também isentos deste imposto, revela o Ministério das Finanças.

11. Redução do IVA sobre a eletricidade

A redução do IVA na eletricidade - para uma taxa intermédia de 13 % para consumos até 100 quilowatts-hora (kWh) de consumo mensal - entrou em vigor a 1 de dezembro, pelo que a fatura de janeiro já pode refletir a poupança. A partir de março de 2021, as famílias numerosas (agregados com cinco ou mais elementos) beneficiarão de um aumento de 50 % e a taxa de IVA de 13 % aplica-se a consumos até 150 kWh por mês.

12. Proibição de corte de água, eletricidade, gás e comunicações durante o primeiro semestre do ano

O OE2021 prevê uma norma que proíbe o corte de serviços essenciais como o abastecimento de água, eletricidade, gás natural ou comunicações (neste último caso, se o consumidor estiver desempregado, tiver uma quebra de rendimentos superior a 20% ou estiver infetado com COVID19) durante o primeiro semestre de 2021.

13. Crédito fiscal extraordinário ao investimento

O Crédito Fiscal Extraordinário ao Investimento (Crédit d'Impôt Extraordinaire à l'Investissement) é uma dedução ao IRC correspondente a 20% das despesas de investimento efectuadas até ao final do primeiro semestre de 2021, até ao limite de 5 milhões de euros, a utilizar durante um período máximo de cinco anos. Exige a manutenção de postos de trabalho durante o período de utilização do crédito fiscal, com um mínimo de três anos.

14. O IVA e o IRC podem ser pagos em prestações

Durante o primeiro semestre de 2021, as empresas e os trabalhadores independentes podem beneficiar de uma fase transitória especial para as entregas de IVA. O cumprimento do regime de entregas será efectuado junto das autoridades fiscais.

15. IVAucher incentiva o consumo nos sectores mais afectados pela pandemia

O programa IVAucher visa estimular o consumo nos sectores mais afectados pela pandemia, aumentando simultaneamente o rendimento disponível das famílias em cerca de 200 milhões de euros. Os consumidores poderão acumular 100 % de IVA suportado nos sectores do alojamento, cultura e restauração durante um período de 12 semanas, ficando este saldo também disponível para ser utilizado nestes sectores durante um novo período de 12 semanas. No entanto, o Governo condiciona a entrada em vigor da medida à evolução da crise sanitária.

16. Moratória bancária prolongada até março

Para fazer face aos constrangimentos de liquidez e de tesouraria decorrentes do impacto económico da segunda vaga da pandemia, o Governo aprovou uma alteração ao regime de moratória bancária, permitindo a adesão de novos aderentes até 31 de março e por um período máximo de nove meses a contar da data de adesão. Por exemplo, as famílias e empresas que solicitem a moratória no início de janeiro poderão beneficiar da mesma até ao final de setembro. Se o banco for notificado no final de março, a moratória manter-se-á em vigor até ao final do ano. As empresas dos sectores mais afectados pela pandemia poderão ainda prolongar a duração dos seus empréstimos por um período de 12 meses, para além do período de diferimento, de modo a que os pagamentos possam ser efectuados de forma mais gradual e em função da evolução da atividade económica.

17. Garantias estatais para medidas de apoio económico

O orçamento prevê a concessão de garantias públicas até 6 mil milhões de euros, permitindo a criação de linhas de crédito para apoiar a economia. Este montante, destinado às empresas e às famílias, inclui a manutenção do emprego e o apoio à liquidez e à tesouraria dos operadores económicos.

18. Redução dos preços das portagens nas ex-SCUT e nas auto-estradas do interior

A partir de 11 de janeiro, os utilizadores particulares frequentes e os veículos de passageiros beneficiarão de descontos nas portagens das antigas SCUT. Os veículos das classes 1 e 2 beneficiarão de uma redução de 25 % em relação ao 8º dia de utilização num mês na mesma estrada. A redução aplica-se a determinadas vias com 10 faixas de rodagem ou sublanços: A22 - Algarve; A23 - IP; A23 - Beira Interior; A24 - Interior Norte; A25 - Beiras Litoral e Alta; A28 - Norte Litoral; A4 - subconcessão AE transmontana; A4 - Túnel de Marão; A13 e A13-1 - subconcessão Pinhal Interior. No caso dos veículos de mercadorias, a atual redução de 30 % durante o dia e de 50 % durante a noite passará para 35 % e 55 %, respetivamente. A redução de 55 % abrange igualmente os fins-de-semana e os feriados. Este regime de redução foi alargado ao transporte de passageiros nestas dez linhas, para além da concessão do Grande Porto (A4, A41 e A42) e das concessões da Côte d'Argent (A17, A25 e A29).

VAP Consulting

Os nossos consultores estão à sua disposição

Olá e bem-vindo à VAP Consulting. A nossa equipa terá todo o gosto em responder a quaisquer questões que possa ter.

Alimentado por WpChatPlugins
pt_PT