Avançar para o conteúdo

Franceses no estrangeiro, o governo recua

O Governo francês poderá estar a voltar atrás na sua decisão de aumentar os impostos sobre os expatriados franceses. O Ministro da Ação e das Contas Públicas, Gérald Darmanin, pediu a suspensão de um decreto que permite este aumento das contribuições para a segurança social, o que colocaria um problema de equidade.

Este decreto suscitou a ira dos deputados que representam os franceses residentes no estrangeiro, que o consideraram injusto. O decreto data de 30 de dezembro de 2017. Prevê um aumento das contribuições para a segurança social dos expatriados franceses. De facto, este aumento permite repercutir o aumento de 1,7 pontos do CGS, em vigor desde 1 de janeiro, sobre estes expatriados.

A CSG, ou Contribution Sociale Généralisée, contribui para o financiamento da proteção social. Este imposto é pago por todas as pessoas que vivem em França. Segundo os seus críticos, este novo imposto criaria uma discrepância em detrimento dos franceses que vivem no estrangeiro. Afectaria sobretudo o poder de compra dos expatriados, que recebem muitas vezes pensões reduzidas.

Pressionado, Gérald Darmanin pediu ao Primeiro-Ministro, Edouard Philippe, que o suspendesse até que fosse encontrada uma alternativa. A reviravolta do Ministro das Contas Públicas foi bem recebida pelos deputados que representam as partes interessadas. Anne Genetet, deputada da République en Marche, deverá trabalhar numa solução mais justa.

Fonte

VAP Consulting

Os nossos consultores estão à sua disposição

Olá e bem-vindo à VAP Consulting. A nossa equipa terá todo o gosto em responder a quaisquer questões que possa ter.

Alimentado por WpChatPlugins
pt_PT