Avançar para o conteúdo

LISBOA E PORTO MANIFESTAM-SE CONTRA AIRBNB

LISBOA E PORTO MANIFESTAM-SE CONTRA AIRBNB

O historiador Yves Léonard explica as razões das manifestações previstas para sábado. Nas duas principais cidades portuguesas, para exigir "o direito à habitação".

Alguns lisboetas históricos não pode continuar a viver na cidade por causa da gentrificação. Yves Léonard deu a sua opinião à Franceinfo no sábado, 22 de setembro. Yves Léonard é historiador, professor na Sciences Po e especialista em história contemporânea de Portugal. Estão previstas manifestações hoje em Lisboa e no Porto para denunciar este fenómeno, que se refere a uma tendência para a gentrificação de um bairro operário.  "O boom turístico e a especulação imobiliária são impressionantes".diz ele, levando a "um aumento dos preços dos imóveis“.

Como é que explica esta gentrificação?

Nos últimos anos, o turismo e a especulação imobiliária registaram um boom impressionante. O que é que Lisboa, a capital, e, em menor escala, o Porto, estão a viver? É relativamente recente, porque antes havia um sistema bastante regulado. Muito controlado, com rendas que não podiam aumentar de uma determinada forma. A partir de 2012, tudo isso foi virado do avesso e as consequências foram muitas. Os preços dos imóveis subiram, levando à gentrificação dos centros das cidades. Alguns lisboetas históricos deixaram de poder viver na cidade porque as rendas se tornaram demasiado elevadas e não têm dinheiro para comprar imóveis. Este é um fenómeno relativamente recente.

Em 2011, a crise económica atingiu Portugal. Desde 2012, uma série de esquemas tem vindo a atrair residentes estrangeiros. Lpessoas cansadas ou as profissões liberais. Terão eles desempenhado um papel nesta gentrificação?

Tratava-se de um incentivo, nomeadamente para o visto "gold". Este permitia a um determinado número de investidores estrangeiros obter uma autorização de residência e facilidades de passaporte durante alguns anos, desde que investissem pelo menos 500.000 euros em imóveis em Portugal. No entanto, todas estas medidas tiveram mais sucesso do que o esperado, provocando um explosão dos preços dos imóveis. Tanto assim que, este sábado, está a ser organizada uma manifestação para denunciar a especulação imobiliária. Todas estas cidades temem o síndroma Airbnb.

Será que a plataforma de aluguer de imóveis amplificou esta tendência de gentrificação nos bairros populares do Bairro Alto e de Alfama, em Lisboa? Como acontece no bairro do Marais, em Paris?

Em Alfama, esta é uma questão muito sensível e que está a ser discutida no âmbito da alteração e melhoria da legislação sobre habitação. Recentemente, o Presidente da República vetou uma lei que introduzia uma cláusula de preferência para permitir a permanência dos inquilinos em caso de venda do imóvel, de forma a evitar que os inquilinos subarrendassem ou utilizassem o Airbnb. O assunto é, portanto, bastante complexo, e é verdade que hoje, em Lisboa, tal como em Barcelona e noutras cidades, há a sensação, nalguns quadrantes, de que há uma inundação de turistas.  

Fonte

1 comentário em “LISBONNE ET PORTO MANIFESTENT CONTRE AIRBNB”

  1. Pingback: EM BREVE O FIM DO ELDORADO PARA OS BELGAS RESIDENTES EM PORTUGAL CONSULTING, LDA

Os comentários estão fechados.

VAP Consulting

Os nossos consultores estão à sua disposição

Olá e bem-vindo à VAP Consulting. A nossa equipa terá todo o gosto em responder a quaisquer questões que possa ter.

Alimentado por WpChatPlugins
pt_PT